urucum digital

Dando cor às ideias

Tag:

Deixe um comentário
BRASILEIRO SUGERE REDESIGN DO WHATSAPP E INTEGRAÇÃO COM FACEBOOK MESSENGER

por Thiago Barros
Para o TechTudo

Após a compra do WhatsApp, o Facebook negou que o mensageiro viesse a ter alguma integração com o seu Facebook Messenger. Entretanto, alguns usuários acreditam que isso deva acontecer no futuro. O brasileiro Maycon Correia, 23 anos, estudante de design no Rio de Janeiro, é um deles, e para tal, criou um possível layout que une as duas plataformas em uma só.

WhatsApp desenhado por brasileiro teria elementos do Messenger (Foto: Divulgação/Maycon Correia)

O projeto de Maycon foi publicado no site Behance, famoso por hospedar trabalhos feitos por designers, e se tornou um sucesso com quase 2 mil visualizações e 160 avaliações positivas. No conceito do carioca, o WhatsApp mantém o nome, a marca e até as cores predominantes, verde e branco. O que mudaria é a interface, ficando bem semelhante ao Facebook Messenger.

“Quando o Facebook comprou o WhatsApp, imaginei que ele sofreria mudanças e tive a ideia de mudar para uma forma mais simples. Esse foi o meu primeiro redesign de um aplicativo. Procurei simplificar o máximo para ficar funcional e agradável, e acho legal quando um aplicativo é focado em projetos individuais; vejo que cada usuário tem muitas ideias legais para melhorar o que já existe”, diz Maycon em entrevista ao TechTudo.

Maycon espera que o seu projeto chegue aos responsáveis do WhatsApp e torce para que o reconhecimento do seu trabalho possa “dar uma mãozinha” na sua carreira.

“Não sei se alguém do Facebook ou WhatsApp viu, mas se alguém vir espero que meu projeto ajude com alguma ideia ou solução legal para quem for fazer o redesign de verdade. Se eu conseguir colaborar para melhorar um aplicativo tão conhecido por todos seria uma honra”, completou.

Esta seria a janela de bate-papo do WhatsApp do brasileiro (Foto: Divulgação/Maycon Correia)
Algumas telas do projeto (Foto: Divulgação/Maycon Correia)
Projeto une WhatsApp e Facebook Messenger (Foto: Divulgação/Maycon Correia)
Exemplos de todas as telas (Foto: Divulgação/Maycon Correia)
Deixe um comentário
FACEBOOK LIBERA STICKERS EM COMENTÁRIOS

Para você que estava com saudade de certas “interações” do finado Orkut, escuta essa. O Facebook liberou o uso de stickers, as famosas figurinhas, nos comentários. “Ai que tosco, vai ficar igual o Orkut”, calma, não é bem assim. A muito tempo que as pessoas postam em comentários imagens, fotos e diversas coisas “zueras”, o que deu origem aos famosos memes.

Tudo o que o Facebook fez foi aceitar o inevitável, as pessoas gostam desse tipo de interação! As figurinhas são divertidas e tem lugar nos comentários. Claro não veremos gifs animados toscos “agitando” as timelines, mas uma interaçãozinha em um comentário, que nem é exibido em primeiro plano na linha do tempo, não faz mal a ninguém não é verdade?

Para baixar novos stickers você pode ir na loja de figurinhas. Abra qualquer janelinha de chat e clique na carinha como se fosse usar uma figurinha.

Em seguida clique no “+”.

E pronto, só escolher as figurinhas que você quer e baixar.

 

Deixe um comentário
IMPEDINDO QUE FACEBOOK ACESSE A SUA AGENDA DO CELULAR PARA INDICAR CONTATOS DO WHATSAPP E VIBER

O Facebook, esse ano, comprou o Whatsapp e prometeu aos usuários que não interferiria em nada no aplicativo de mensagens mais querido dos brasileiros. Mesmo com algums pessoas não gostando disso e migrando para o ViberTelegram e para o novo ICQ, o Whatsapp continuou sendo o lider dos comunicadores instantâneos.

O problema é que a Facebook (safadinha) está acessando a agenda de telefones dos usuários do Whatsapp e Messenger, e sugerindo novos usuários na rede social com isso. Provavelmente ao instalar o Facebook ou o Messenger em seu telefone, você autorizou eles a acessar sua agenda no celular – assim a rede social poderá ver seus contatos do WhatsApp, Viber, Telegram e de outros serviços de mensagens que usem seu número de celular.

Esses comunicadores instantâneos não exigem que você crie um usuário, nem senha, só pede o seu número de telefone, isso falicita muito, mas tudo isso fica registrado na sua agenda. Da para saber quem é usuário de Whatsapp, Viber, Telegram… E o Facebook está se aproveitando disso e com a sua permissão. A rede social vai então procurar os perfis com os números de celular correspondentes, e sugeri-los para você os adicionar como amigos e o contrário também acontece! Alguém que tenha o seu número de celular pode descobrir qual o seu perfil do Facebook, pois a rede social indica o seu perfil para a pessoa.

Você provavelmente liberou o acesso à sua agenda. Esta é uma opção que aparece quando você roda o Messenger pela primeira vez no smartphone, e a interface é feita precisamente para você dizer “sim”. Se você disser “não”, o app do Facebook vai insistir na pergunta:

E você provavelmente tem um número de celular associado à sua conta do Facebook: basta ir em facebook.com/settings?tab=mobile para checar. Para conseguir acesso à sua agenda, a rede social pergunta qual é o seu número, e insiste na pergunta se você não quiser responder:

Se você aceitar, qualquer pessoa pode digitar seu número de celular no campo de busca e encontrar seu perfil. Experimente colocar o número de um amigo seu: ao inserir o último dígito, o Facebook vai mostrar o perfil exato dele:

Isso também funciona para pessoas que não são seus amigos. Se você passou seu celular para alguém na balada, ou mesmo pela internet, essa pessoa pode encontrar seu perfil. Dá para encontrar o perfil de alguém se você tiver o celular dela e ela estiver conectado à conta do Facebook.

Isso é bem assustador, e o pior é que você concordou com tudo isso. Nas configurações de privacidade, há a opção “Quem pode procurar por você usando o número de telefone fornecido?”. Infelizmente, a opção padrão é “Todos”, em vez de “Amigos”:

Vale notar que ninguém conseguirá descobrir seu número de telefone no seu perfil. É no sentido inverso: se a pessoa tiver seu número, ela conseguirá encontrar seu perfil. Mas dado que números de celular fazem cada vez mais parte da nossa identidade – sendo a única opção de login no WhatsApp e Viber, por exemplo – isso é mais preocupante do que nunca.

Como resolver o problema?

Existem algumas coisas que você pode fazer para impedir que o Facebook utilize o seu telefone e os seus contatos do Whatsapp. Vamos as procedimentos!

Vá em facebook.com/settings?tab=privacy e, na opção “Quem pode procurar por você usando o número de telefone fornecido?”, clique em “Todos” e selecione “Amigos”. Com isso somente quem já é seu amigo poderá te procurar pelo seu número de telefone.

Uma medida um pouco mais extrema é ir em facebook.com/settings?tab=mobile e, ao lado do seu número, clique em “Remover” e depois em “Remover telefone”.

A exclusão do seu número não é imediata, e outras pessoas ainda poderão encontrar seu perfil pelo seu celular, então é importante que você faça o passo anterior também. Sem um número de telefone vinculado a sua conta facebook o que muda é que você não poderá receber notificações via SMS, o que ninguém usa na verdade. Você pode adicionar seu número novamente, se quiser.

Bom, com isso evitamos que achem você no Facebook com o seu telefone, mas como evitar que o Facebook sugira amigos cujo o número você tem em sua agenda no celular?

No celular, abra o Messenger, toque na roda dentada e veja se a opção “Contatos sincronizados” está ativa. Se estiver, toque nela e depois em OK para desativar isso.

No computador, vá em facebook.com/mobile/messenger/contacts; lá estão todos os números de celular sincronizados com a sua conta. Clique no botão “Excluir todos” e, na caixa que aparece, clique em “Excluir todos”.

Demora algumas horas até que o Facebook apague de fato os números de celular armazenados em sua conta, quando isso acontecer, as recomendações de amigos baseadas em sua agenda vão sumir.

Se quiser remover também as recomendações baseadas em seus contatos de e-mail: você provavelmente importou contatos do Gmail/Hotmail/Yahoo quando se cadastrou no Facebook, e a rede social guarda essas informações até hoje, vá até facebook.com/invite_history.php; você provavelmente verá uma lista quilométrica de contatos do seu e-mail e celular. Na seção “Contatos importados”, clique em “Todos” e depois em “Excluir selecionados”.

E com isso tudo você evita que te achem pelo seu celular que o Facebook indique quem você tem adicionado em sua agenda no celular.

É bom que todos fiquemos de olho em redes sociais como o Facebook, cada vez mais elas estão se aproveitando de nossas infomações pessoais e pior, com a nossa permissão, pois muitas vezes nem notamos que estamos concordando com isso.

 

Informações via Gizmodo

Deixe um comentário
ARMANDINHO, ALEXANDRE BECK E O COMPROMISSO COM O MUNDO

Um dia um amigo me disse: “Cara tem um menino no Facebook, uns quadrinhos. Nossa, é você!”, eu fiquei tentando entender o porque do sorriso, achando que ele estava tirando uma com minha cara, daí ele me explicou que se tratava de um personagem de tirinhas que estava aparecendo no Facebook vira e mexe. Não dei muita bola no começo, até que o fato se repetiu com uma amiga, daí fui procurar saber quem era o tal “menino que se parecia comigo”.

O menino dos quadrinhos era o Armandinho e de fato não posso negar que temos muito em comum. Ele chegou de mansinho no Facebook e logo de cara agradou a muita gente. É um menino de uma inocência meio destrambelhada, que gosta muito de animais e nos faz rir muito com suas “tiradas”.

Armandinho foi criado em 2009 pelo ilustrador, agrônomo e comunicador social,  Alexandre Beck, só se tornando a tirinha que conhecemos em 2010. Ele não foi planejado e na verdade foi criado em poucas horas para ilustrar um trabalho urgente. Uma matéria de economia sobre pais e filhos (Olha aí você que vive reclamando de prazos curtos).

Dinho, como é conhecido carinhosamente, representa muitos de nós na infância. Uma criança atentada, mas muito amável, o que torna fácil se identificar com ele.

A tirinha tem um compromisso social grande, tratando de temas como preservação do meio ambiente, igualdade social e cresceu muito nos últimos tempos.

O trabalho de Alexandre é bem legal e está sendo reconhecido por muitos. Um fato curioso desse reconhecimento foi a participação do Armandinho na CowParade catarinense. Uma exposição de arte pública que já percorreu diversas cidades de todo o mundo. Se tratam de esculturas de fibra de vidro em forma de vaca e que são decoradas por artistas locais.

É impossível não notar no Armandinho as influências de personagens como o Calvin, a Mafalda e o Menino Maluquinho, tudo isso somado a sensibilidade única do Alexandre Beck torna a tirinha sensacional.

O Urucum Digital recebeu um presentão, uma entrevista com criador do Armandinho e com o próprio Armandinho! Beck foi muito legal e contou coisas interessantes.

As pessoas sabem muito sobre o Armandinho, mas pouco sobre você. Como é o Alexandre Beck? Como é o seu trabalho hoje em dia?

Trabalho quase exclusivamente com textos/desenhos/quadrinhos há 15 anos. De 2000 a 2005 trabalhei em redação de jornal e depois comecei a produzir de casa. É algo que demanda esforço, mas que pra mim compensa.

Como você acabou virando ilustrador?

Já havia feito agronomia e terminava comunicação social quando surgiu uma vaga de ilustrador no Diário Catarinense. Levei meus desenhos e fui selecionado.

Você ganhou um prêmio ainda jovem na Bienal Internacional de Kanagawa, no Japão. Como foi isso?

Foi uma professora que enviou um desenho meu para o concurso. Eu só soube quando recebi o prêmio, uma grande medalha de prata e um diploma da prefeitura de Kanagawa. Foi algo bacana, mas não imaginava na época que desenhar pudesse se tornar minha atividade.

Você tem uma carreira de muitos trabalhos interessantes, participou do Diário Catarinense, fundou a Artes & Letras Comunicação. Essa trajetória para você foi algo orgânico ou custou dar uma forçadinha no destino? Sabemos que nada vem fácil, mas foi algo que veio naturalmente para você?

As coisas foram acontecendo, passo a passo. Eu tinha vontade de trabalhar com desenhos. Por isso, fui cursar comunicação social em 97, mesmo graduado em agronomia. O curso de comunicação não foi como eu imaginava (ainda bem), mas foi importante na minha formação e visão de mundo. Depois, já ilustrador do Diário, comecei a fazer paralelamente quadrinhos voltados à educação ambiental – uma preocupação minha – utilizando conhecimentos da agronomia. A Arte & Letras veio para formalizar meus trabalhos como jornalista-ilustrador.

O Armandinho surgiu por acaso não é verdade? Inclusive sem nome. Conta pra gente a história.

As primeiras tiras do que veio a se tornar o Armandinho fiz em 2009. Foram feitas às pressas, pra ilustrar uma matéria que seria publicada no dia seguinte no jornal. As tiras que eu fazia na época, com outros personagens, não se encaixavam na matéria – que abordava economia familiar, com pais e filhos. Usei um desenho que tinha pronto, rabisquei pernas para representar os pais e as tiras foram publicadas no dia seguinte.

Maurício de Sousa costuma dizer que é o pai da Mônica, você se considera o “pai” do Armandinho? Como é a sua “relação” com ele?

O Maurício é de fato o pai da Mônica, que trabalha com ele, inclusive. Eu sou pai do Augusto e da Fernanda. Minha relação com o personagem é mais de cumplicidade. Mas muita gente me chama de “pai do Armandinho”, e não tem problema nenhum nisso.

O Armandinho tem muito de você? Sabemos o quanto ele quer um mundo melhor, isso vem da personalidade do Alexandre ou é um compromisso social que você quis que a tirinha assumisse?

É inevitável que tenha. Essa linha trago de outros trabalhos e setores da minha vida, incluindo a época do movimento estudantil, e está presente no Armandinho.

O Armandinho mudou muito a sua vida? O que mudou para você quando ele começou a fazer sucesso? Foi algo inesperado para você?

À medida que o personagem foi precisando, fui direcionando mais de meu tempo a ele. Isso mudou minhas tarefas e permitiu, por exemplo, me dedicar a fazer os livros. Não esperava o reconhecimento do personagem. Nunca foi esse o objetivo, e isso não muda nada minha forma de fazer as tiras.

Você acha que o mercado brasileiro tem carência do tipo de trabalho que você executa hoje com o Armandinho? Temos grandes profissionais de quadrinhos, mas poucos tão populares como ele se tornou.

Não creio que devamos direcionar nossas ações pra atender a um “mercado” ou que “popularidade” deva ser um objetivo a ser alcançado. Há muita gente lutando pelo bem comum, apesar de todas as dificuldades. São voluntários, professores, profissionais da saúde, etc. Isso é importante e merece ser reconhecido e valorizado. Muito mais que cartunistas ou “produtores de mercadoria”, somos seres humanos e cidadãos.

Seu estilo de traço nas tirinhas é bem característico. Ele foi desenvolvido para as tirinhas do Armandinho ou seu estilo sempre seguiu essa linha? Você tem outros trabalhos acontecendo atualmente que gostaria de contar pra gente?

O estilo dos meus quadrinhos educativos vai mais ou menos nessa linha. Mas escrevo, desenho e às vezes pinto coisas diferentes.

Que dicas você poderia dar para os ilustradores e quadrinistas que leem o blog?

Não me sinto à vontade pra dar dicas, mas algumas coisas me são importantes. Uma ilustração/quadrinho pode afetar o comportamento alheio, e isso implica responsabilidade. A leitura e a reflexão são fundamentais, e se refletem no nosso trabalho.

Quem busca originalidade talvez deva parar de tentar agradar os outros ou seguir caminhos já percorridos. Todos somos únicos, originais. Talvez a resposta esteja dentro de nós mesmos.

O papo com o Alexandre estava muito legal, até que alguém entrou na conversa. Já que ele estava por lá, resolvi fazer umas perguntas para ele também.

Armandinho, você tem noção do sucesso que está fazendo na internet? Tem gente querendo até suas camisas. O que acha disso?

Acho ruim. Tenho poucas camisas e gosto muito delas pra dar pra alguém.

Você é tão bagunceiro quanto parece ou é só impressão minha?

É só impressão sua, do meu pai, da minha mãe e dos meus professores.

Você gosta muito de animais né? Tem até um sapo. Porque você gosta tanto deles?

O sapo não é meu. Ele anda comigo porque quer. Por que eu gosto de animais? Por que não gostaria?

Tem gente por aí dizendo que você parece com o Calvin e a Mafalda. Você conhece eles? O que acha disso?

Tenho uma tia que se chama Mafalda. Ela é bem legal, mas acho que não se parece comigo. Ela tem alguns cabelos brancos.

Por que um garotinho como você decidiu que quer mudar o mundo?

Não decidi. Não sei fazer diferente. Eu gosto do mundo, das pessoas e dos bichos. Acho que aqui podia ser um bom lugar pra todos, não só pra alguns. Não acha?

Essa foi uma das matérias que mais gostei de fazer e quero agradecer ao Alexandre e ao Armandinho por falarem comigo. Definitivamente esse Armandinho apronta todas e o Alexandre é um cara legal.

 

 

 

 

 

Alexandre Beck: Blog

Livros do Armandinho

Facebook