urucum digital

Dando cor às ideias

Tag:

AS PRINCIPAIS ÁREAS DO DESIGN

Original por Mário em designerd
Versão Urucum Digital

Design é uma área de trabalho ampla, com uma enorme variedade de disciplinas. Para quem está estudando, começando a entrar no mercado ou simplesmente não entende o que um designer faz (as mães que o digam), aqui está um guia para entender as principais áreas do Design.

Design Gráfico

Design Gráfico muitas vezes é chamado apenas de “Design” por ser a área mais conhecida.

O Designer Gráfico trabalha diretamente com o visual dos produtos: sejam imagens para um site, material gráfico, fotografias, infografia, sinalização, diagramação, tipografia, embalagens, etc.

Muitos profissionais de outras áreas (fotógrafos, ilustradores, estilistas, etc) também podem ser designers gráficos ou acabam atuando na área mesmo sem formação. Isso torna o Design Gráfico o segmento mais popular e genérico do design, o que muitas vezes dificulta a valorização do trabalho, e por isso é sempre bom que o profissional se especialize.

Ferramentas: Photoshop, Illustrator, fotografia, Corel Draw.

Diferenciais: Saber desenhar bem, ter ótima percepção de cores, tipografia.

Design de Interface

Engloba uma área grande de atuação. O objetivo do design de interface de usuário é tornar a interação do usuário o mais simples e eficiente possível, em termos de realização dos objetivos do usuário.  O processo de design deve equilibrar funcionalidade técnica e elementos visuais para criar um sistema que não é apenas operacional mas também útil e adaptável para alterar as necessidades do usuário.

Quando falamos de interface podemos pensar em todo tido de interação humana com uma interface ou sistema. Painéis de carros, secretárias eletrônicas, softwares (que pode ser considerado uma área do design a parte – Design de Software), a internet e mais recentemente os celulares e tablets criaram um segmento de mercado enorme para a criação de interfaces.

O profissional deve pensar em como um usuário leigo vai utilizar o produto, sempre procurando facilitar o uso, porém sempre levando em conta que toda pessoa possui capacidade para entender coisas mais complexas também. O Design de Interface combina elementos de programação e principalmente estudo do comportamento.

Ferramentas: Illustrator, Photoshop, Dreamweaver, Flash, entre outros.

Diferenciais: Ter muito conhecimento de interação e comportamento, saber programar.

Web Design

Este é um segmento que se mistura ao Design Gráfico e de Interface. O Web Designer é o profissional que desenvolve web sites, hot sites, blogs, lojas virtuais, etc.

Antigamente fazer sites era um trabalho muito manual e focado no código. Era um processo lento e demorado. Hoje, o foco do Web Designer é a praticidade, a segurança, o visual e a navegação dos sites.

É importante nesse segmento do design que se entenda como funciona a programação, o código por trás da interface. O designer aqui não necessariamente precisa ser um programador, mas deve ser um desenvolvedor web, o que significa que ele precisa entender a mecânica, conhecer o que é possível ou não fazer e saber integrar seu layout a um código.

Ferramentas: Aplicativos, softwares de programação Web e programas para Design Gráfico.

Diferenciais: Saber programar e conhecer bem as tendências de desenvolvimento web.

Motion Graphics

Motion Graphics é a criação de animações digitais com vídeo, efeitos e imagens, também conhecida como “multimídia”. É um segmento forte do design porque possui aplicações no cinema, na música, na publicidade e em diversas outras áreas.

Trabalhar com Motion Graphics significa criar animações, efeitos especiais, gráficos e arte digital em vídeo.

O legal de trabalhar com vídeos é que o resultado é muito bacana e impactante. Mas apesar de ser um trabalho bem visual, o processo de criação é demorado e muito minucioso.

É interessante procurar alguma especialização em Motion Graphics, como animação de personagem, efeitos visuais ou 3D. Se conseguir mergulhar em um desses assuntos, com certeza terá mais base para suas criações.

Ferramentas: After Effects, Cinema 4D, Photoshop, Maya, Flash.

Diferenciais: Conhecimento de animação tradicional.

Game Design

Enquanto nos anos 80 e 90 as pessoas curtiam os games sem nem imaginar que poderiam colaborar com suas idéias, hoje existem milhares de pessoas lançando jogos. Criar games deixou de ser algo exclusivo das grandes produtoras.

Trabalhar com design para games é uma mescla de Design Gráfico, animação, programação, modelagem 3D e Design de Interface.

O desenvolvimento de games é dividido em várias áreas e exige muito conhecimento técnico. É difícil um game ser desenvolvido por apenas uma pessoa (a não ser um jogo mais simples) e por isso é muito bom saber trabalhar em equipe e ter um conhecimento geral do processo.

Ferramentas: Varia bastante de acordo com a plataforma.

Diferenciais: Ter muito conhecimento de games e bastante criatividade.

Design de Interiores

Design de Interiores é uma área bem ampla que envolve estudo, projeto e criação de ambientes levando todos os aspectos em conta: iluminação, conforto, temperatura, texturas e materiais. Cuidado para não confundir um Designer de Interiores com um Decorador.

O designer não vai simplesmente decorar o ambiente – ele vai combinar elementos com base em um projeto detalhado do espaço, materiais, temperatura e iluminação.

Ferramentas: AutoCAD, Sketchup, Revit, Photoshop.

Diferenciais: Ter ótima noção espacial e conhecimento de arquitetura, iluminação e materiais.

Design de Produto

Esse é um segmento que voltou com força total depois da popularização das impressoras 3D. Design de Produto envolve todas as etapas de criação de um produto, passando pelo rascunho, protótipos e produto final.

Atualmente é fácil modelar em 3D e criar produtos básicos sem muito conhecimento técnico. Mas quem quer se especializar como um Designer de Produto deve estudar bastante e conhecer a fundos os programas de modelagem.

Ferramentas: Alias Design, Solidworks.

Diferenciais: Ótima visão espacial, conhecimentos de geometria e de materiais.

Design de Moda

Design de Moda é a aplicação do design na criação de roupas e acessórios. É uma área que mistura elementos gráficos com o aspecto técnico da construção de roupas.

Trabalhar com moda exige conhecimento histórico e o acompanhamento incessante de tendências.

E não adianta fazer apenas ilustrações bonitas. Mesmo quem trabalha apenas fazendo estampas de camiseta precisa ter o conhecimento técnico de como as roupas são feitas, estampadas e finalizadas.

Ferramentas: Programas de Design Gráfico e ferramentas manuais.

Diferenciais: Conhecimento técnico e muitas referências.

Mobile Design

Talvez o mais novo de todos os seguimentos. Mobile design é uma área relativamente jovem, que muda muito rápido e está diretamente ligada a tecnologia. Trata-se de criar aplicativos, jogos, web apps… ferramentas que irão rodar em um dispositivo móvel como um celular ou um tablet.

Ser um desenvolvedor mobile é entender que estamos lidando com interação em uma interface com recursos limitados por tamanho e/ou processamento, no entanto a tecnologia tem permitido muitas melhoras nesse aspecto.

Tal qual um web design, para ser um desenvolvedor mobile é preciso entender a programação por trás da plataforma, não necessariamente ser um programador, mas conhecer e entender os limites e necessidades de um código. A programação do sistema muda de acordo com a plataforma: IOS (apple), Android (com suas versões de doces como Kitkat e Jelly Beans), Windows Phone, etc.

Além de códigos, é impotante saber que criar uma interface mobile vai depender de para qual plataforma você está desenvolvendo. Cada plataforma tem suas especificações de funcionamente determinadas por sua empresa responsável, que normalmente concede guias e downloads que permitem entender sua configuração e permitindo que seu layout siga essas premissas.

Ferramentas: Photoshop, Illustrator, softwaresd e programação e outros.

Diferenciais: Saber trabalhar em equipe, entender comportamento humano, estar antenado com as novidades tecnológicas.

Deixe um comentário
4 APLICATIVOS PARA VOCÊ SOLTAR O SOM!

Tudo com música é mais gostoso! Seja trabalhando, dando aquela geral na casa, animando uma balada ou criando aquele climinha a dois, a música move o ser humano a gerações. Não importa o estilo, o importante é que fale com nossa alma.

Esqueça as rádios tradicionais, CDs/DVDs ou pendrives, com esses aplicativos você vai ter música para todos os momentos que precisar, basta estar conectado a internet.

O Superplayer é gratuito e está disponível para WebAndroidIOS e Windows Phone. Ele separa as músicas em playlists categorizadas por atividade, sentimento, gênero e especiais.

Ainda é possível assinar o serviço e ter vantagens que outros usuários gratuitos não possuem. É uma boa alternativa e muito divertida para soltar aquele som.

Você é uma pessoa decidida e sabe o que quer? Então recomendo o Spotify. Ele é um aplicativo que reproduz streaming, está disponível para computadores e dispositivos móveis como Windows PhoneIOSAndroid. Permite escutar e comprar música pesquisando por artista, álbum ou listas de reprodução criadas pelos próprios usuários.

Logado em sua conta, o sistema aprende o que você gosta e passa a te indicar coisas semelhantes ao seu gosto pessoal.

O serviço também é gratuito, mas fazendo o upgrade desse streaming é possível liberar serviços como tocar offline no celular, não escutar propagandas e pular qualquer música, quando quiser.

Rdio também é um serviço de streaming de músicas. Permite escutar músicas pesquisando por artista, álbum ou listas de reprodução criadas pelos usuários. Disponível na web e em aplicativos para iOSAndroid Windows Phone que desempenham uma função de cache para reprodução offline. O serviço conta com mais de 20 milhões de músicas em sua biblioteca.

Grooveshark é um site de compartilhamento de músicas on-line, que também está disponível para mobile. O site permite que o usuário faça o upload de suas músicas que ficam disponíveis para serem ouvidas por outros usuários. Grooveshark tem um fluxo médio de 50 a 60 milhões de música por mês e cerca de 400 000 usuários com uma taxa de crescimento de 2 a 3% por mês.

Atualmente o serviço oferece um mecanismo de busca de músicas pelo nome da faixa, artista ou álbum. Uma vez localizada a música, o usuário poderá ouvi-la na interface HTML através de transmissão (streaming), criar playlists e compartilhá-los por e-mail em sites de relacionamento como Facebook, Twitter e StumbleUpon, ou permitir que outras pessoas escutem as músicas através de widgets em Flash que podem ser publicados em blogs do WordPress.

O Grooveshark não permite que o usuário baixe os arquivos para seu computador, as músicas podem ser ouvidas apenas através do site ou dos widgets criados a partir de playlists. O site oferece a opção de adquirir os arquivos de áudio em lojas on-line, como Amazon ou iTunes. Também disponibiliza aplicativos para aparelhos móveis, para instalar é preciso iniciar o download direto do celular.

Agora é só escolher o seu player favorito!

Informações Wikipédia

Deixe um comentário
9 GIFS QUE EXPLICAM RESPONSIVE DESIGN

Não pode diferenciar um site responsivo do que meramente adaptativo? Estes GIFs vão ajudá-lo!

O que é design responsivo? A maioria das pessoas vagamente entende que isso se refere a sites que funcionam tão bem em desktops quanto em smartphones, mas há muito mais do que isso.

design responsivo é aquele onde todo o conteúdo é flexível, se reposicionando conforme o ambiente do usuário, como tamanho da tela, orientação (horizontal ou vertical) e plataforma.

Já o design adaptativo é basicamente o o que se utilizava a alguns anos atrás, onde tinhamos um conjunto de código para cada tipo de dispositivo que acessava o site. Hoje ele ainda é utilizado quando faz-se necessária limitação de funcionalidades para determinados dispositivos, ou mesmo para atender à parte de marketing, podendo ajudar nos funis de conversão.

Responsivo vs adaptativo:

O design responsivo expande de forma fluída, enquanto o adaptativo aguarda o navegador ou viewport terminar a expansão.

Usar unidades relativas vs estáticas:

Posicionando os elementos usando píxels, faz com que ele funcione em apenas uma tela. Use medidas relativas, como porcentagem da tela ao invés de medias estáticas.

Com ou sem breakpoints:

Veja com breakpoints que podemos manter a mesma largura nas coisas, sem o breakpoint as coisas tendem a diminuir e não manter a mesma visualização em telas diferentes.

Design fluído vs estático:

Olhe quando você define uma altura fixa, diferente de quando você mantêm o design sem altura definida podendo ela aumentar conforme necessidade.

Fontes padrão ou webfonts?

Olhe a diferença de carregamento das fontes padrão comparado com as fontes carregadas pela web.

Usar ou não largura máxima?

Veja que ao usar a largura máxima, o site pode ainda manter uma barra lateral em cada lado, isto se aplica quando a tela é muito grande, assim mantemos, por exemplo, o conteúdo em boa qualidade de leitura. Inclusive no próximo layout do Oficina da Net, que pretendemos lançar em breve, usamos esta técnica para manter uma boa leitura do conteúdo.

Quem vem primeiro, desktop ou mobile?

A diferença em pensar o layout primeiro para desktop ou primeiro para celular?

Use vetores quando imagens são dispensáveis.

“Seu ícone tem muitos detalhes e alguns frufrus aplicados? Se sim, use um bitmap. Se não, considere o uso de uma imagem vetorial.” Uma imagem do vetor pode mais adequadamente se adaptar a diferentes resoluções.

Informações: FroontBlogFastcompany e Oficina da Net

 

 

Deixe um comentário
WHATSAPP EM SEU COMPUTADOR! (FINALMENTE)

WhatsApp é o maior e mais utilizado aplicativo de mensagens da atualidade, ele agrada a praticamente todos os usuários em tudo, menos em uma coisa… não ser possível utilizá-lo direto no computador, porém agora isso é coisa do passado.

Não se sabe a razão disso e porque a WhatsApp nunca quis fazer uma versão desktop do aplicativo assim como a concorrente Viber possui, mas o caso é que já que a empresa não tomava uma atitude, os usuários tomaram. Alguns macetes foram criados para se poder utilizar o aplicativo de mensagens no PC, o único incoveniente era ter que rootear o aparelho (entrar na programação interna do celular e modificá-la), o que se não fosse bem feito poderia até danificar o celular, mas mesmo assim os usuários assumiram o risco e conseguiram realizar o feito.

O caso é que a WhatsApp se incomodou com isso, não gostando nadinha da nova técnica e finalmente resolveu disponibilizar uma forma de se utilizar oficialmente o aplicativo no computador, sem riscos, sem root e tudo dentro do permitido.

Para utilizar o app no PC você vai precisar ter instalado o navegador Google Chrome e seu WhatsApp tem que estar atualizado com a última versão. Em outras palavras, não foi criado um software ou app para computador, mas uma espécie de web app para o Chrome. As atuais plataformas que suportam esse serviço são Android, Windows Phone, Blackberry e Bleckberry 10.

Em seu WhatsApp você deve abrir o menu e selecionar “WhatsApp Web”.

Em seguida você deverá entrar no site https://web.whatsapp.com e tal qual o seu celular irá te ensinar, você deve scannear o código QR na tela do computador. Basta posicionar o celular na frente do código como se você fosse tirar uma foto dele, centralizando a imagem dentro do quadrado na tela do celular.

Se você deixar a opção “Mantenha-me conectado”, que está na tela do computador, selecionada, você não precisará realizar este passo neste computador nunca mais.

Feito isso o Whatsapp vai funcionar dentro do navegador. Você precisará deixar a aba onde ele está aberta para que ele continue funcionando.

Quando você receber uma nova menssagem, uma notificação será exibida no canto inferior direito da tela, perto do relógio. O som e até mesmo a própria notificação podem ser desativados nas configurações do WhatsApp Web.

 

Informações: Info TechOlhar Digital

GUARDE SUAS SENHAS E INFORMAÇÕES AS 7 CHAVES

Você vive reclamando que não aparecem apps legais para Windows Phone? Vive achando ruim que aqui no blog só se fala de Android e iPhone? Então olha aí que bacana, um aplicativo exclusivo (por enquanto) para Windows Phone fresquinho!

7Chaves é um app simples, mas que faz algo bem interessante, ele guarda suas senhas como as de redes sociais, cartão de crédito e também anotações importante de fato as 7 chaves.

O aplicativo utiliza-se de algoritmos de criptografia para o armazenamento das informações. Sinta-se seguro em salvar em seu aparelho o que quiser.

Baixe o 7Chaves aqui.