urucum digital

Dando cor às ideias

Tag:

Deixe um comentário
MOTO X+1 DEVE TER MAIS DE 20 TIPOS DE CARCAÇAS TRASEIRAS
O atual Moto X com revestimento de bambu. (Fonte da imagem: Divulgação/Motorola)

Via: Evleaks e TecmundoO próximo smartphone top de linha da Motorola deve se chamar Moto X+1, servindo de sucessor do famoso Moto X. A empresa já chegou a afirmar que o lançamento deste aparelho vai acontecer em breve, mas sem indicar exatamente em que momento deste ano isso deve ocorrer.

A novidade sobre esse assunto é o fato de que o pessoal do Evleaks divulgou a imagem que você pode conferir abaixo. Nela, estão listadas todas as alternativas de carcaça traseira que o Moto X+1 talvez suporte. São 25 opções ao todo, sendo que não há informações de como você poderia comprar ou utilizar esses componentes.

(Fonte da imagem: Reprodução/Evleaks)

Foram listados cinco tipos diferentes de revestimentos: Cool (Fresco/suave), Neutral (Neutro), Warm (Quente), Wood (Madeira) e Leather (Couro). A utilização de couro não é exatamente uma novidade, já que boatos apontaram para algo deste tipo na época do lançamento do Moto X, o que não chegou a se tornar realidade.

Não há dados exatos de quais materiais vão ser utilizados nas carcaças do tipo Warm, Cool e Neutral — talvez sejam produtos que proporcionem diferentes sensações à mão, como camurça e plástico escovado, por exemplo. Contudo, como a própria Motorola ainda não se pronunciou de forma oficial, não podemos afirmar com certeza o que vai ser feito.

Todas essas categorias têm em comum a grande oferta de cores. Sendo assim, caso as alternativas listadas realmente comecem a ser vendidas em um futuro próximo, você vai poder escolher por um tipo de madeira avermelhada e couro verde ou azul. No entanto, essa situação ainda é um grande boato, de maneira que devemos ser cautelosos.

Deixe um comentário
REDESIGN, COMO FAZER? / A PÁGINA DE BUSCA DO GOOGLE

Quando se fala em redesign muitos designers tremem. Uma das coisas mais difíceis dentro da área do design é ter que reprojetar algo que outra pessoa fez, principalmente se este algo já for um trabalho consagrado.

Por muitas vezes reprojetar se mostra um desafio ainda maior do que criar uma nova ideia, exige uma visão abrangente e domínio de um trabalho “pronto” que possui particularidades que só serão descobertas ao decorrer do redesign. Pensar em melhorar algo que não é bom, principalmente se você for usuário deste algo, é mais simples. Agora pense você em transformar algo considerado bom e que funciona em novo. Aí mora o desafio. Como aconteceu com o Finlandês que reinventou o machado, ferramenta criada na pré-história tornando-o mais eficiente e prático. Como fazer tal feito?

Reconhecer a necessidade

O primeiro passo é reconhecer essa necessidade. Ter a visão de que algo pode melhorar, resultando em aspectos positivos. Maior clareza, organização, tornar mais atraente, mais prático, despertar ou renovar o interesse do público, modernizar… os motivos podem ser muitos, mas é fundamental que se tenha um propósito para a mudança.

Entender do que se está reprojetando

Esse item é diretamente atrelado ao anterior. Para se reconhecer a necessidade de mudança, normalmente, é necessário ser familiarizado ou até mesmo ser usuário do que se está reprojetando. A indústria de jogos por exemplo, se alimenta constantemente de opiniões de quem os joga, que por prazer os testam e se apaixonam, o que faz nascer o desejo de melhorias contantes e sugestões. O Mario, o encanador mais famoso do mundo, já passou por muitos reprojetos, até se consolidar.

Claro, nem sempre a vontade de redesign vem de alguém a par do projeto, isto é algo que pode vir do cliente e nesse caso o desafio fica maior. Muitas vezes quando não se tem interesse direto e/ou domínio do assunto os resultados não são bons, diferente de quando essa necessidade parte dos usuários.

Estar aberto ao novo

Entender que para algo ser reprojetado, não basta que uma ou duas coisas sejam alteradas, o novo, coisas que não existiam na época que o projeto original foi feito, deve ser levado em conta. Analisar como incluir novidades no seu reprojeto que farão a diferença.

Estar aberto ao acaso

Não descarte erros ou acidentes tão facilmente. As maiores ideias da humanidade vieram do acaso, de acidentes e de pessoas atentas a eles.

Atenção aos detalhes técnicos

Não basta conhecer e ter a destreza suficiente para realizar um grande trabalho, é preciso entender que estamos lidando com algo que já tem um público e este precisa ser respeitado. O público atual vai entender e saber usufruir do novo design? Você está acompanhando a aceitação do que projetou? O investimento compensa a mudança? Seu trabalho é não só fazer, como também não fazer e aconselhar não ser feito o trabalho caso necessário.

Respeitar a evolução natural do projeto

Não é possível fazer algo surpreendente em um único redesign. Uma marca, por exemplo, leva anos para evoluir e chegar a sua forma consagrada, mudando seu logo e sua filosofia. Aceitar que a evolução é feita de pequenas mudanças é parte importante do redesign e ainda mais difícil que isso, fazer os responsáveis pelo projeto (clientes ou sócios), entenderem isso.

Pode não parecer que mudar cor e um único detalhe seja o suficiente, mas essa pequena mudança pode fazer toda a diferença para o futuro. Um exemplo disso é a Google, que vem mudando suas ferramentas a olhos vistos e evoluindo.

Aqui no blog mesmo já foi mostrado um exemplo de redesign do whatsapp integrado com o Facebook Messenger e como isso pode ser divertido e interessante. Analisar o redesign da Google é um ótimo exercício. As coisas acontecem de forma tão natural, se integrando a modernidade, que nos faz entender como ser bem sucedido com mudanças. Diferente de algumas empresas que permanecem fiéis e as vezes fechadas em sua própria identidade.

Atualmente a página mais famosa da internet tem basicamente um logo e um pequeno box do tamanho do seu dedo indicador. Sim, a magnânima página de busca do Google:

Já pensou como seria refazer esta página? Poderia se tornar uma dor de cabeça, afinal cada um tem uma visão de como a Google deveria ser.

Respeitando o minimalismo e a modernidade, duas características que a Google presa bastante, o estudante Jake Nolan (atualmente muitos estudantes tem ganhado destaque por criarem novas propostas para projetos de grandes empresas) recriou a página dando a importância devida ao campo de busca, que foi completamente demolido e ficou sem suas 4 paredes. Virou um cursor gigante.

O que tem de simples, tem de óbvio.

Jon Wiley, o lead designer do Google, responsável pela página de busca, admite que já passaram por um pequeno aumento da caixa no passado, e que apesar de ser uma mudança sutil, a diferença em termos de usabilidade foi muito grande.

Um projeto como esse seria um grande passo, principalmente porque funcionalidades já conhecidas (opções de pesquisa) ficariam comprometidas. Optar por pequenas mudanças, ao invés de grandes inovações é uma forma sábia de proceder se tratando de redesign.

Deixe um comentário
ANDROID: 35 COMANDOS DE VOZ DO GOOGLE NOW QUE VOCÊ PRECISA SABER

Via TecMundo

No início do mês passado, a Google fez a alegria dos internautas brasileiros ao adicionar comandos de voz em português no Now, o assistente pessoal do sistema operacional Android. Com isso, torna-se possível conversar livremente com o serviço usando a nossa língua nativa – até então, só era possível operar o utilitário através da língua inglesa.

Para usar esse recurso, basta atualizar seu Now para a última versão disponível e abri-lo normalmente através do app “Google”. Em seguida, toque no pequeno ícone de um microfone (localizado no canto superior da tela, ao lado da barra de pesquisa) e diga o comando que você quiser.

Se você não está acostumado a usar assistentes pessoais e precisa de ajuda para começar a interagir com o Google Now, confira nossa lista com alguns comandos básicos que você pode experimentar para iniciar a diversão.

Comandos essenciais

  • Vá para [endereço do site]
    Ex.: Vá para tecmundo.com.br.
  • Pesquise [palavras-chave]
    Ex.: Pesquise Android Google Now.
  • Abra o [nome do aplicativo]
    Ex.: Abra o Gmail.

Produtividade

  • Me lembre de [descrição da tarefa na agenda]
    Ex.: Me lembre de comprar um cabo USB amanhã, às 10 horas da manhã.
  • Crie um alarme para [horário]
    Ex.: Crie um alarme para a sexta-feira, às 3 horas da tarde.
  • Crie um evento no meu calendário: [detalhes do evento]
    Ex.: Crie um evento no meu calendário: aniversário da Ana, amanhã, às 5 horas da tarde.
  • Crie uma nota: [detalhes da nota]
    Ex.: Crie uma nota: lembrar de estudar para a prova de inglês.

Comunicação

  • Ligue para [nome do contato]
    Ex.: Ligue para o Ramon.
  • Envie uma mensagem para [nome do contato]: [mensagem]
    Ex.: Envie uma mensagem para o Ramon: vou chegar atrasado na reunião.
  • Enviar email para [nome do contato ou endereço de email: [mensagem]
    Ex.: Enviar email para Ramon: que horas será a reunião?

Navegação

  • Navegar até [endereço]
    Ex.: Navegar até a Av. Paulista, nº 1373.
  • Rotas para [endereço ou nome do local]
    Ex.: Rotas para a Praça da Sé.
  • Onde fica o [nome do local]
    Ex.: Onde fica o Parque Ibirapuera?
  • Onde fica o [restaurante, shopping, cinema etc.] mais próximo?
    Ex.: Onde fica a sorveteria mais próxima?

Informações gerais

  • Eu preciso de um guarda-chuva amanhã?
  • Como estará a temperatura [dia e horário] em [local]?
    Ex.: Como estará a temperatura amanhã de madrugada em São Paulo?
  • Onde [pessoa] nasceu/morreu?
    Ex.: Onde o Michael Jackson nasceu?
  • Quando [pessoa] nasceu/morreu?
    Ex.: Quando o Elvis Presley morreu?
  • Qual é a idade do [pessoa]?
    Ex.: Qual é a idade da Xuxa?
  • Qual é a altura do [pessoa]?
    Ex.: Qual é a altura do George Obama?
  • Qual é a altura do [nome de um prédio]?
    Ex.: Qual é a altura da Torre Eiffel?
  • Quem é [nome da pessoa]?
    Ex.: Quem é Dilma Roussef?
  • Quem inventou o [invenção]?
    Ex.: Quem inventou o telefone?
  • Quem escreveu [obra]?
    Ex.: Quem escreveu “Crepúsculo”?
  • Qual foi o resultado do jogo entre [nome do time 1] e [nome do time 2]?
    Ex.: Qual foi o resultado do último jogo entre o Corinthians e o Botafogo?
  • Quais são os pontos turísticos de [nome da cidade]?
    Ex.: Quais são os pontos turísticos de São Paulo?
  • Converter [quantia da primeira moeda] em [nome da segunda moeda]
    Ex.: Converter 10 euros em reais
  • Converter [primeira medida] em [segunda medida]
    Ex.: Converter 10 metros em pés
  • Somar/subtrair/dividir/multiplicar [primeiro número] por [segundo número]
    Ex.: Multiplicar 8 por 5.
  • Qual é a população de [cidade/país]?
    Ex.: Qual é a população de Nova York?
  • Quem é o presidente do [país]?
    Ex.: Quem é o presidente do Cazaquistão?
  • Quando é o [nome do feriado]?
    Ex.: Quando é o Dia dos Pais?
  • Qual foi o último episódio de [nome do seriado/novela]?
    Ex.: Qual foi o último episódio de Avenida Brasil?
  • Filme: [nome do filme]
    Ex.: Filme: “Malévola” (para saber informações básicas sobre o longa-metragem)
  • Qual é o elenco de [filme]?
    Ex.: Qual é o elenco de “Malévola”? (para ter a lista de atores)

O que não conseguimos fazer?

Vale observar que, durante os nossos testes, não conseguimos usar alguns dos comandos de voz em português sugeridos pela própria Google. Falhamos, por exemplo, ao pedir que o celular reproduza músicas (“Ouvir: [nome da música]”), identifique a canção que está sendo reproduzida no ambiente (“Que música é esta?”) e mostre o menu de restaurantes/lanchonetes locais (“Me mostre o cardápio do [nome do estabelecimento]”).

Se você conhecer algum comando interessante que não foi citado nessa lista (ou conseguiu fazer alguma das frases falhas acima funcionar), não deixe de avisar usando o campo dos comentários!

Imagens TecMundo

Deixe um comentário
GUIA: COMO ACESSAR ARQUIVOS DO SEU PC PELO SMARTPHONE OU PELA NUVEM

Via: How-To Geek e Olhar Digital
Adicionais: Urucum Digital

Se você possui um computador com Windows, pode ser que, de qualquer outro lugar da casa, você queira acessá-lo mas não queira ir até ele com um cabo USB para pegar seus arquivos. Este guia vai ensinar como fazer isso, utilizando dispositivos iOS ou Android, sejam eles smartphones ou tablets. O método funciona se os aparelhos estiverem na mesma rede local, ou seja, por wi-fi ou cabo ethernet.

Compartilhe suas pastas

Utilizando o Windows Explorer, clique com o botão direito na pasta que deseja compartilhar na rede, clique em “Compartilhar com”, e logo depois, “pessoas específicas”.

Na tela que aparecerá, escolha “todos” e dê permissão para “ler” os arquivos. Caso você queira gravar arquivos nesta pasta, utilize a opção “ler/escrever”.

Sua pasta estará compartilhada com senha. Para remover esta senha (o que só recomendamos que você faça para sua rede residencial), basta abrir o menu iniciar, digitar “central de rede” e clicar em “central de rede e compartilhamento”.

Clique em “opções de compartilhamento avançadas”.

Desça a tela e desligue a proteção de compartilhamento por senha.

Pronto. Após clicar em OK seus arquivos estão compartilhados em sua rede wi-fi e podem ser encontrados por outros usuários.

Encontrando os arquivos via Android

Para isso, é necessário um gerenciador de arquivos que tenha suporte à descoberta de redes locais. Recomendamos o ES File Explorer File Manager.

Conectado à mesma rede wi-fi, basta abrir o ES File Explorer e tocar o ícone superior à esquerda.

Logo depois, clique em rede e, em seguida, em LAN.

Na parte de baixo da tela, o ícone “procurar” mostrará, com um toque, todos os computadores da rede com pastas compartilhadas.

Basta escolher seu computador com o IP correto (isso envolve um pouco de tentativa e erro, caso haja mais de um computador na rede) e pronto. Suas pastas estarão ali, para que você copie os arquivos ou os utilize direto da rede.

Encontrando os arquivos via iOS

Para o iOS, será necessário utilizar um gerenciador de arquivos, que pode ser baixado da App Store. Para este exemplo, utilizaremos o File Explorer Free.

Com o app aberto, clique no “+”, no canto superior direito e escolha “Windows”. Uma lista de opções irá aparecer e, na parte inferior da tela, uma lista dos computadores com os arquivos compartilhados.

Pronto, basta utilizar os arquivos diretamente da rede.

Outras alternativas

Caso você não seja fã de mexer com redes e isso tudo lhe parece muito complicado, podemos sugerir aqui outras alternativas. O uso da famosa “nuvem”.

Usar a “nuvem, significa que o armazenamento de dados é feito em serviços que poderão ser acessados de qualquer lugar do mundo, a qualquer hora. O acesso a programas, serviços e arquivos é remoto, através da Internet – daí a alusão à nuvem.

O inconveniente é que esses serviços oferecem espaço limitado para ser utilizado, em alguns casos esse espaço pode ser expandido através de compra, compartilhamento do serviço ou convidando amigos.

Dropbox é uma pasta que é criada após instalar essa ferramenta. Ela pode ser criada direto no seu computador ou em um dispositívo movel, e é acessível também no site.

O barato dessa ferramenta é que uma vez criada, você pode acessá-la facilmente de qualquer lugar em que esteja instalada e utilizar, mover, excluir, adicionar seus arquivos, praticamente tudo que uma pasta local em seu computador faz.

Para utilizá-la é simples, coloque um arquivo dentro da pasta Dropbox.

O ícone azul significa que o arquivo está sendo sincronizado com a nuvem.

É isso aí! O ícone verde significa que o arquivo terminou de ser salvo a seus outros computadores e site do Dropbox.  Agora que o arquivo está no Dropbox, todas as alterações feitas a ele serão detectadas automaticamente e atualizado para o outros computadores.

As pastas que você cria podem ser compartilhadas com outras pessoas que também utilizam o Dropbox e essas por sua vez poderão alterar o conteúdo das pastas. É um serviço bem prático.

Você pode comprar mais espaço no seu Dropbox ou ganhá-lo, fazendo coisas como tuitar sobre a ferramenta, convidando amigos, vincular conta ao facebook… são várias opções.

Assim como o Dropbox, o Google Drive permite que você armazene arquivos e acesse-os em qualquer lugar: na Web, em seu disco rígido (onde ele cria uma pasta) ou enquanto você se desloca através de um dispositivo móvel.

Quando você altera um arquivo na Web, no computador ou em um dispositivo móvel, ele também é atualizado em todos os seus dispositivos em que o Google Drive está instalado. Compartilhe, colabore ou trabalhe sozinho: os arquivos são seus, e a escolha também.

Os primeiros 15 GB de espaço é gratuito e seus arquivos do Gmail, Fotos e do Google+ também utilizam o espaço do Drive.

Conforme for enchendo seu Google Drive, é possível adquirir mais espaço de armazenamento comprando no site da Google.

O interessante dessa ferramenta é ela permite criar documentos online com formatos específicos da Google.

O sistemas de gerenciamento de arquivos do Drive é um dos melhores, permitindo a criação de documentos de texto, formulários, planílhas, desenhos, tudo online. O único incoveniente é que nem sempre ele se mostra muito prático.

Os arquivos podem ser utilizado por várias pessoas ao mesmo tempo, compartilhando esses documentos. na verdade é bem legal, nos documentos exclusivos da ferramenta é possível ver quem está online naquele nele e que alterações a pessoa está fazendo, tudo isso em tempo real.

A ferramenta se mostra indicada pra trabalhos remoto que necessitam de interação constante.

Se você é usuário do Windows em suas versões mais recentes, então provavelmente você já possui o One Drive, mas não se assute! O recurso não é invasivo.

O One Drive, antigo SkyDrive é um recurso de compartilhamento da Microsoft, ela foi obrigada a mudar o nome do serviço depois de perder uma disputa judicial por violação de marca no Reino Unido, iniciada pela empresa britânica British Sky Broadcasting Group (BSkyB).

Ryan Gavin, gerente da Microsoft, disse que a transição de nome “não foi fácil”, mas representa um conceito mais interessante. Com a nova marca, a empresa aproxima o OneDrive de outros produtos, como o Xbox One e o OneNote.

Tal qual as opções anteriores, através dessa ferramenta é possível acessar e compartilhar arquivos pela web, em uma pasta em seu computador ou por um aplicativo em seu dispositivo móvel.

Os usuários cadastrados poderão armazenar 7 GB de conteúdo grátis. Quem ativar o backup das imagens da câmera para salvar fotos automaticamente ganha mais 3GB de espaço.

Enquanto a pasta desktop e o aplicativo se mostram relativamente fáceis de usar, o acesso online é um tanto mais complicado. A interface e a usabilidade do OneDrive não é das melhores, porém se você já é um usuário Outlook (Hotmail) pode ser uma vantagem usar o OneDrive.

Deixe um comentário
COMPARE O VISUAL DO ANDROID KIT KAT COM O DO NOVO ANDROID L

Via Olhar Digital

O Android L, mostrado pelo Google em sua conferência para desenvolvedores, acompanha, além de melhoramentos de desempenho e funções, uma mudança radical no design do sistema, tanto em aplicativos como em menus dos aparelhos. Veja algumas imagens tiradas pelo site Phone Arena para a comparação dos dois sistemas. Veja se você gosta mais do novo (à esquerda) ou do antigo (à direita) design.

Agenda de contatos

A visualização de fotos individuais de cada contato também está diferente.

Você notou que os ícones também mudaram, na parte de baixo? Alguns usuários vão tomar algum tempo para se ajustar, mas dizer “triângulo” “círculo” ou “quadrado” para explicar algo para alguém é um tanto quanto mais fácil do que “a setinha curva para a esquerda”, “aquele que parece uma casinha” e “os dois quadradinhos um atrás do outro”.

Menus

Os menus de opções continuam escuros, mas o seletor “liga/desliga” está menos claro (parece uma pequena barra de volume). Também é notável a diminuicão no número de linhas dividindo os itens entre si e o aumento no tamanho dos ícones.

O design das barras de volume continua muito parecido, embora seja interessante ver o Android voltando a utilizar mais a cor verde.

Calendário

O Calendário recebeu mudanças drásticas, mas o mais notável é o fato de que cada evento possui sua própria “bolha” colorida, tornando mais fácil separar diferentes marcações, além de um grande botão “+” para adicionar novas notificações.

Gmail

O Gmail ficou com um visual mais simples, mas perdeu as cores e letras nos quadradinhos, o que tornava fácil saber com um rápido olhar, de quem era o e-mail.

Apesar disso, a interface para enviar mensagens (que agora é acessada também por um grande botão de “+”) está mais limpa, com menos subdivisões e com uma lista mais clara de endereços para os quais a mensagem será enviada. O desaparecimento do botão “opções” (o trio de quadradinhos), no entanto, é estranho.

Google Maps

O Google Maps, ao sugerir várias rotas diferentes para o mesmo destino, agora mostra o mapa aberto, ao invés de fazer com que você clique em cada uma das rotas para descobrir o caminho que deseja usar.

Galeria

A galeria de imagens padrão do Android L ganhou um fundo branco, ao invés do preto que existia até o Kit Kat, além de perder o botão de opções. Pra onde ele foi?

Por último, a organização das fotos agora é feita de acordo com o formato de cada imagem, semelhante ao que já é feito com as galerias do Google Plus, tornando cada imagem mais fácil de ser vista em suas proporções originais.

E aí? Achou que o design novo melhora ou piora a utilização do sistema? Comente!