urucum digital

Dando cor às ideias

Tag:

Deixe um comentário
BRASILEIRO SUGERE REDESIGN DO WHATSAPP E INTEGRAÇÃO COM FACEBOOK MESSENGER

por Thiago Barros
Para o TechTudo

Após a compra do WhatsApp, o Facebook negou que o mensageiro viesse a ter alguma integração com o seu Facebook Messenger. Entretanto, alguns usuários acreditam que isso deva acontecer no futuro. O brasileiro Maycon Correia, 23 anos, estudante de design no Rio de Janeiro, é um deles, e para tal, criou um possível layout que une as duas plataformas em uma só.

WhatsApp desenhado por brasileiro teria elementos do Messenger (Foto: Divulgação/Maycon Correia)

O projeto de Maycon foi publicado no site Behance, famoso por hospedar trabalhos feitos por designers, e se tornou um sucesso com quase 2 mil visualizações e 160 avaliações positivas. No conceito do carioca, o WhatsApp mantém o nome, a marca e até as cores predominantes, verde e branco. O que mudaria é a interface, ficando bem semelhante ao Facebook Messenger.

“Quando o Facebook comprou o WhatsApp, imaginei que ele sofreria mudanças e tive a ideia de mudar para uma forma mais simples. Esse foi o meu primeiro redesign de um aplicativo. Procurei simplificar o máximo para ficar funcional e agradável, e acho legal quando um aplicativo é focado em projetos individuais; vejo que cada usuário tem muitas ideias legais para melhorar o que já existe”, diz Maycon em entrevista ao TechTudo.

Maycon espera que o seu projeto chegue aos responsáveis do WhatsApp e torce para que o reconhecimento do seu trabalho possa “dar uma mãozinha” na sua carreira.

“Não sei se alguém do Facebook ou WhatsApp viu, mas se alguém vir espero que meu projeto ajude com alguma ideia ou solução legal para quem for fazer o redesign de verdade. Se eu conseguir colaborar para melhorar um aplicativo tão conhecido por todos seria uma honra”, completou.

Esta seria a janela de bate-papo do WhatsApp do brasileiro (Foto: Divulgação/Maycon Correia)
Algumas telas do projeto (Foto: Divulgação/Maycon Correia)
Projeto une WhatsApp e Facebook Messenger (Foto: Divulgação/Maycon Correia)
Exemplos de todas as telas (Foto: Divulgação/Maycon Correia)
Deixe um comentário
MOTO X+1 DEVE TER MAIS DE 20 TIPOS DE CARCAÇAS TRASEIRAS
O atual Moto X com revestimento de bambu. (Fonte da imagem: Divulgação/Motorola)

Via: Evleaks e TecmundoO próximo smartphone top de linha da Motorola deve se chamar Moto X+1, servindo de sucessor do famoso Moto X. A empresa já chegou a afirmar que o lançamento deste aparelho vai acontecer em breve, mas sem indicar exatamente em que momento deste ano isso deve ocorrer.

A novidade sobre esse assunto é o fato de que o pessoal do Evleaks divulgou a imagem que você pode conferir abaixo. Nela, estão listadas todas as alternativas de carcaça traseira que o Moto X+1 talvez suporte. São 25 opções ao todo, sendo que não há informações de como você poderia comprar ou utilizar esses componentes.

(Fonte da imagem: Reprodução/Evleaks)

Foram listados cinco tipos diferentes de revestimentos: Cool (Fresco/suave), Neutral (Neutro), Warm (Quente), Wood (Madeira) e Leather (Couro). A utilização de couro não é exatamente uma novidade, já que boatos apontaram para algo deste tipo na época do lançamento do Moto X, o que não chegou a se tornar realidade.

Não há dados exatos de quais materiais vão ser utilizados nas carcaças do tipo Warm, Cool e Neutral — talvez sejam produtos que proporcionem diferentes sensações à mão, como camurça e plástico escovado, por exemplo. Contudo, como a própria Motorola ainda não se pronunciou de forma oficial, não podemos afirmar com certeza o que vai ser feito.

Todas essas categorias têm em comum a grande oferta de cores. Sendo assim, caso as alternativas listadas realmente comecem a ser vendidas em um futuro próximo, você vai poder escolher por um tipo de madeira avermelhada e couro verde ou azul. No entanto, essa situação ainda é um grande boato, de maneira que devemos ser cautelosos.

ERP MITIS

Trabalho feito em parceria com Bayron T. Quinelato para a MITIS Tecnologia. O ERP:MITIS tem como principal diferencial a total integração entre os diversos setores da empresa e os diferentes meios de acesso à informação.

Ele da vida as informações da sua empresa, pois as alimenta multilateralmente através das ações cotidianas de todos os setores da sua empresa. Desde o setor de entrada de matéria prima/mercadoria, até o acompanhamento da entrega dos seus produtos, nos destinos com total controle e com informações em tempo real.
Além de ser uma solução de gestão completa, o ERP:MITIS traz recursos inovadores para agilizar ainda mais a realização de pedidos, oferecendo, entre outros recursos: Integração com o CRM, Pedidos – WEB, Pedidos – BI Comercial, Pedidos – PDA.

O ERP:MITIS está na Google Play gratuitamente, e funciona com liberação da MITIS.

Deixe um comentário
BLOCOS: COMO PROJETO ARA ESTÁ REINVENTANDO O SMARTPHONE

Informações via The Verge e Tecmundo.

Já faz algum tempo que a Google vem preparando o Project Ara. Se você ainda não ouviu falar sobre ele, é bom se atualizar, pois isso pode ser a tendência no mundo dos smartphones em alguns anos. E o que é esse projeto afinal? Em resumo: trata-se de um sistema que cria smartphones modulares, mas será que é só isso?

Na verdade a proposta dos smartphones modulares vai bem além da simples “troca de peças”. O que os criadores do Project Ara pretendem fazer é, nas palavras deles mesmos, “democratizar o ecossistema de hardwares, abrindo espaço e tirando a obrigatoriedade do intermédio das montadoras”. Ou seja, levar aos celulares o que é possível nos computadores.

Assim como é possível montar um PC com placa de vídeo de uma fabricante ou de outra — levando isso também para praticamente todos os componentes de hardware —, nos smartphones seria possível alterar dispositivos e até mesmo adaptar os aparelhos às necessidades de cada momento. Parece uma ótima ideia, não é mesmo?

O que é isso exatamente?

Paul Eremenko, cabeça do Projeto Ara

Em termos bem diretos: o Project Ara é um projeto encabeçado por Paul Eremenko que muda os paradigmas da telefonia móvel. Em vez de oferecer celulares prontos, ele prevê que as empresas possam vender peças para um smartphone, sendo que o próprio consumidor é responsável pela modificação dos componentes — que seriam vendidos como módulos de montagem para o público final.

Dessa maneira, qualquer comprador poderia escolher quais são os componentes que querem instalados em seus aparelhos. Depois de algum tempo de utilização, torna-se possível alterar os módulos de memória ou da câmera, além também de ser fácil a inclusão de novos recursos ou troca de outros.

Como podem ocorrer as trocas?

Segundo a Google, todas as trocas de componentes ocorrem de uma maneira muito simples, graças ao modelo de acoplamento magnético. Como você pode ver na imagem abaixo, pequenos ímãs conectam a estrutura principal aos módulos para fazer com que os consumidores não precisem de ferramentas avançadas na hora de realizar qualquer upgrade nos sistemas.

Em que passo está o desenvolvimento?

Na última terça-feira, a Google realizou uma conferência para desenvolvedores, na qual foram mostradas algumas das possibilidades que serão oferecidas pelo Project Ara. Como relata o site Engadget, a apresentação foi marcada pelo fato de que um colaborador da Google derrubou o smartphone modular no chão e fez com que a tela dele fosse quebrada. Em poucos minutos ela foi trocada sem o uso de equipamentos profissionais.

Isso surpreendeu muito os presentes no evento, pois mostrou que realmente há um grande atrativo nesse tipo de tecnologia e que ele pode ser realmente comercial.  Mas é preciso dizer que o aparelho ainda está longe de ser funcional — ele pode ser ligado e apresenta pequenas interações, mas ainda não é um smartphone completo —, pois está em estágios muito primários do desenvolvimento.

Previsão para o começo de 2015

Apesar de ainda precisar de vários ajustes no funcionamento, o Project Ara está previsto para chegar às lojas em janeiro do ano que vem.  Segundo o site The Guardian, a Google quer fazer com que ele chegue às prateleiras com várias opções de personalização, não sendo apenas uma versão limitada para desenvolvedores.

Para quem ele será criado?

O Project Ara deve atingir dois tipos de mercado: o de entusiastas da tecnologia e o de países emergentes, este sendo o principal. Existem estudos que mostram que há 5 bilhões de pessoas no mundo que utilizam “feature phones” — aparelhos mais simples, que oferecem funções básicas de acesso à internet, mas que não chegam a ser smartphones completos.

E é para esses consumidores que a Google quer lançar o Ara. Já existem planos para a chegada do “Grey Phone” nesse nicho, que seria um pacote básico com tela, processador e módulo Wi-Fi. Isso poderia custar apenas US$ 50 e garantiria a utilização das funções mais básicas às quais um smartphone se propõe. Outras funcionalidades poderiam ser acrescentadas por meio de módulos adicionais.

Grandes diferenciais do Ara

Além de ser modular e garantir a troca rápida de componentes, o Project Ara também trará vantagens em outros aspectos — caso cumpra todas as promessas que vem propondo, é claro. Com a possibilidade de alternar peças, os aparelhos podem ter vida útil mais longa, não ficando obsoletos em menos de dois anos — apesar de isso não se aplicar aos componentes.

Personalização

Não são apenas os componentes internos do aparelho que poderão ser personalizados. Os módulos externos também garantem a composição de diversos designs para os smartphones. Dessa forma, os consumidores vão poder escolher entre grandes quantidades de cores para criar celulares que se encaixam perfeitamente nas preferências pessoais.

Assim como aconteceu com o Moto X, o Project Ara vai contar com um sistema próprio para a personalização, chamado “Ara Configurator”. Dessa forma, os consumidores podem aplicar texturas, imagens ou padrões que serão impressos nos módulos reservados para cada sistema dos smartphones.

A divisão ATAP da Google — Projetos e Tecnologias Avançadas — garante também que os aparelhos terão três “modulações” diferentes quando chegarem às lojas. Uma versão mais básica dos aparelhos terá seis compartimentos para encaixe de funcionalidades e componentes, enquanto versões mais avançadas vão oferecer mais possibilidades.

Mas o que pode ser encaixado?

Você se lembra de uma das grandes diferenças entre o iPhone 5 e o iPhone 5S? Além das evoluções do hardware, algo que chamou muito a atenção do público foi a chegada do TouchID, que permitia o desbloqueio dos aparelhos por meio da impressão digital. Em um aparelho modular isso poderia ser adicionado sem precisar de uma nova geração de aparelhos.

Isso mesmo, um leitor biométrico modular poderia ser encaixado para garantir a nova função. E isso é só o começo. A Google promete que serão produzidos medidores de batimentos cardíacos, câmeras e adicionais para elas, leitores de cartão de crédito e muito mais. Praticamente qualquer dispositivo pode ser conectado modularmente e isso abre um enorme leque de possibilidades para os desenvolvedores.

É claro que há questões que vão além dos “sonhos dos inventores”. Módulos precisam ser pensados de um modo que se encaixem sem problemas nos smartphones e também podem haver problemas de compatibilidade entre componentes. Mas todos esses problemas podem ser solucionados em poucos anos, desde que os investimentos prossigam — é possível que a versão lançada em 2015 não tenha todas as possibilidades imaginadas pela Google.

O Project Ara é uma ideia incrível e revolucionária, podendo quebrar paradigmas e criar novas possibilidades incríveis para os consumidores. Como já dissemos, deve levar alguns anos até que isso seja possível com toda a amplitude prevista. Mas é preciso dizer que os avanços estão ocorrendo e são promissores. Você apostaria em um aparelho desse tipo?

Deixe um comentário
START FOR ANDROID, UMA TELA DE BLOQUEIO QUE ENRIQUECE SEU APARELHO

Fontes: Tecmundo e TheNextWeb

Launchers e outros programas que mudam a aparência do sistema operacional Android são ótimas alternativas de personalização, já que o programa do seu smartphone fica mais próximo do seu gosto estético e também acompanha melhor a maneira como você o utiliza. Sendo assim, não é à toa que softwares deste gênero sejam tão difundidos.

A novidade é que o aplicativo Start for Android tem uma proposta um tanto quanto diferenciada. Quando você instala esse programa no seu smartphone, ele não muda toda a aparência do sistema operacional da Google, mas troca a tela de bloqueio por uma nova cheia de recursos que podem ser úteis dentro da sua rotina.

Com isso, você consegue ativar a sua lista de ligações telefônicas, por exemplo, na própria tela de bloqueio e falar com os últimos contatos escolhidos. Ainda nessa mesma tela, há a possibilidade de você conferir seus emails, ler as últimas mensagens do WhatsApp, entre outros serviços — tudo isso sem desbloquear, de fato, o smartphone.

O objetivo disso tudo é tornar o uso do seu aparelho mais simples e intuitivo. A única ressalva é que certas informações pessoais barradas por configurações de segurança (algo que deve abranger redes sociais) necessitam que você informe senhas, resultando em uma tela de bloqueio dupla, por assim dizer.

Você escolhe as funcionalidades

O Start for Android também tem suporte para que você escolha ou baixe diferentes plugins para que novos recursos sejam ativados através da tela de bloqueio. O próprio software conta com algumas opções, abrangendo o Facebook, feed de páginas, YouTube, Flickr, galeria do celular, entre outras alternativas desses gêneros.

Quando essas funções são ativadas, um menu aparece na parte esquerda da tela de bloqueio — e o serviço em questão é aberto com apenas um toque. Caso você esteja interessado neste aplicativo, tudo o que você precisa fazer é clicar aqui e realizar o download através da Google Play.

1 2 3 4 7